Energia Solar baterá o Carvão e se tornará a fonte de energia mais barata do mundo

Por Jessica Shankleman e Chris Martin do Bloomberg.com, traduzido por Alexandre Valentim

  • O Custo médio da energia solar no mundo deve ser menor que o do carvão em até 10 anos.

  • Vários países desde Arábia Saudita e México planejam leilões de energia solar.

Uma Usina Solar no deserto do Atacama, no norte do Chile.

A energia solar é mais barata que o carvão em algumas partes do mundo. Em menos de uma década, é previsto que será a opção de menor custo independentemente do local.

Em 2016, países do Chile até os Emirados Árabes Unidos quebraram recordes com leilões de geração de energia a partir do sol por menos de US$ 0.03/kWh, metade do custo médio global da geração a partir de carvão. Agora, Arábia Saudita, Jordânia e México estão planejando leilões para 2017, tendo como meta preços ainda mais baixos. Grandes companhias já experientes na Europa agora buscam expandir para novos mercados mundiais enquanto os subsídios acabam em suas terras natais.

Desde 2009, os preços da energia solar já baixaram mais de 62%, com cada parte da cadeia de produção cortando custos, o que ajuda também a baixar os fatores de risco em seu financiamento e empurra a capacidade de produção para níveis recordes. Por 2025, a energia solar deve ser mais barata que o uso de carvão na média global, de acordo com o Bloomberg New Energy Finance.

“Esses são números que mudam a dinâmica do mercado e estão cada vez mais comuns em mais mercados” disse Adnan Amin, diretor geral da Agência Internacional de Energia Renovável, um grupo intergovernamental sediado em Abu-Dhabi. “Toda vez que você dobra a capacidade, o preço reduz em 20%”.

O avanço das tecnologias tem sido a chave que impulsiona a indústria, entre eles uso de serras de diamante para cortar os tarugos de silício e produzir células mais eficientes. Também auxiliado pela economia de escala e aumento da expertise desde o começo do boom da energia solar na década passada, dando à esta indústria uma vantagem crescente sobre os combustíveis fósseis.

O custo médio de usinas solares de chão maiores que 1 MW custará US$ 0.73/W em 2025 se comparado aos preços de US$ 1.14/W atuais, uma queda de 36%, de acordo com Jenny Chase, líder de análises solares da New Energy Finance. O que bate com outras previsões mercadológicas.

  • GTM Research espera que em algumas partes do sudeste dos EUA que hoje se aproximam de US$ 1.00/W tenham tal valor reduzido para US$ 0.75/W em 2021, de acordo com seus analistas.

  • O Laboratório de Energias Renováveis do Departamento Nacional de Energia dos EUA prevê custos atuais de US$ 1.20/W sendo reduzidos para US$ 1.00/W em 2020. Próximo de 2030, a tecnologia atual chegará em seu limite de redução de custo, diz Donald Chung, líder de projetos.

  • A Agência Internacional de Energia espera que custos de geração em escala caiam até mais 25% na média nos próximos 5 anos.

  • A Agência Internacional de Energias Renováveis antecipa uma outra queda de 43% a 63% de custos com energia solar até 2025, o que levaria o acumulado desde 2009 para 84%.

As cadeias de produção de energia solar está passando por um “efeito Wal-Mart” de aumentos em volume e redução de margens de acordo com Sami Khoreibi, fundador e CEO da Enviromena Power Systems de Abu-Dhabi.

A velocidade com que a energia solar supera a do carvão em custos varia conforme o país. Países importadores de carvão ou que taxam fontes poluidoras como a Europa e o Brasil verá esse custo se equivaler em 2020, se não antes, enquanto países com grandes reservas de carvão como Índia e China terão esse efeito mais tarde.

A Resposta do Carvão

Oficiais da Indústria do Carvão apontam que essa redução de custos dos renováveis não levam em conta a necessidade de se manter sistemas de back-up que podem funcionar mesmo quando o sol não está brilhando ou os ventos estão fracos.

Quando esses outros custos são considerados, o carvão continua mais barato, até mesmo próximo de 2035, diz Benjamin Sporton, CEO da World Coal Association.

“Todas as economias avançadas demandam por energia elétrica full-time”, disse Sporton, “Energias Solar e Eólica só podem gerar em parte do tempo, são um tipo de energia intermitente. Enquanto algumas energias renováveis tiveram uma grande redução de custos específicos recentemente, é importante olhar no custo total do sistema”.

Mesmo assim, a queda acentuada nos preços da energia solar mostra que ela é um competidor a altura.

Na China, maior mercado de energia solar, os custos serão menores que os do carvão perto de 2030, de acordo com a New Energy Finance. O país ultrapassou a Alemanha como nação com maior capacidade solar instalada enquanto o governo aumentar seu uso, junto de outras energias limpas e cortar as emissões de carbono. Mesmo assim, os cortes continuam um problema, principalmente nas áreas mais ensolaradas do país onde o congestionamento nas redes chega a forçar o desligamento de algumas usinas.

Os países com maior incidência solar estão liderando a redução de custos, mas não é apenas o clima que faz com que a energia solar seja cada vez mais favorável. O uso de licitações e leilões baseados no preço de compra da energia está fazendo com que as companhias de energia compitam entre si para baixar custos.

Um leilão em Agosto no Chile gerou um contrato de 2.91 centavos de Dólar por kWh. Em setembro, um leilão dos Emirados Árabes Unidos ganhou as manchetes com 2.42 centavos de Dólar por kWh, os fabricantes consideraram em seus lances a expectativa de que, durante o processo de projeto e montagem, o custo da tecnologia vai continuar a cair.

“Estamos vendo uma nova realidade, onde a Energia Solar é a fonte de energia mais barata, e eu não vejo um final da queda de custos a médio prazo” disse Khoreibi, da Enviromena.

Notícia Original: https://www.bloomberg.com/news/articles/2017-01-03/for-cheapest-power-on-earth-look-skyward-as-coal-falls-to-solar


Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Google+ Basic Square
  • LinkedIn Social Icon
  • YouTube Social  Icon